Sinopse

No primeiro dia de aula do 2º ano do ensino médio, a tímida Naho Takamiya recebe uma misteriosa carta endereçada a ela, datada de 10 anos no futuro. O seu conteúdo relatava com detalhes minuciosos e comentários pertinentes todos os acontecimentos do dia de Naho, e qual a surpresa, não só o que estava escrito realmente acontecia como também o remetente era ela mesma.

O objetivo da carta era direcionar a “Naho do presente” a impedir o maior arrependimento da vida da “Naho do futuro”: o suicídio de Kakeru Naruse, o primeiro amor da garota. Como essas cartas chegam até Naho? Por quê Kakeru irá se matar? E o mais importante: será mesmo que saber o que vai acontecer ajuda a impedir o futuro de outra pessoa?

Este slideshow necessita de JavaScript.

Resenha

Orange é um mangá escrito pela mangaká Ichigo Takano e conta uma história incrível. Não é à toa que o mangá tenha se destacado tanto dos outros de mesmo gênero. Em poucos volumes, você é capturado pela história e, por ser curto, fica com aquele gosto de “quero mais”.

A história de Orange nos leva a refletir sobre a importância de nossos atos no dia a dia. Mesmo os pequenos atos, por mais ínfimos que sejam, podem acarretar em algo muito maior do que podemos imaginar. Afinal, não sabemos pelo que as pessoas à nossa volta estão passando. Às vezes, nem nossos melhores amigos dividem tudo conosco, para evitar nos fazer de orelha, o que na minha opinião não tem sentido, pois gosto de poder ajudar e compartilhar uma conversa, mesmo que seja sobre problemas.

Orange fala sobre suicídio, amor, amizade, esperança e superação. De certa forma, todos esses conceitos estão entrelaçados na história e cada um deles tem seu papel.

Gravamos um podcast sobre esse mangá e uma das conclusões a que chegamos foi sobre a importância do diálogo. Muito dos problemas que ocorrem em Orange e ocorrem em nossas vidas, poderia ter sido evitado ou até mesmo resolvido, se tivesse ocorrido um diálogo maior entre os envolvidos.

Acredito que esse mangá contribuiu para uma disseminação maior do assunto que, em certo círculos parece um tabu, mas que deve ser falado. Nós do Química Literária adoramos o título e se precisar, estamos abertos para conversar. Fiquem à vontade para nos fazer de “orelha”.

Você pode ouvir nosso podcast sobre Orange clicando aqui.

Avaliação:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *